Flordelis usa prerrogativa de deputada e vai prestar depoimento sobre a morte do marido em Brasília

A deputada Flordelis dos Santos (PSD) optou por não prestar depoimento à Justiça do Rio sobre o assassinato de seu marido, o pastor Anderson do Carmo. Na próxima quinta-feira, terá início o julgamento, na 3ª Vara Criminal de Niterói, de dois filhos da parlamentar acusados de envolvimento no crime. Flordelis usou de sua prerrogativa como deputada e solicitou à juíza da vara, Nearis dos Santos Carvalho Arce, para ser ouvida em Brasília, onde também possui domicílio.

O pedido, feito no dia 15 deste mês, foi aceito pela magistrada. O depoimento da parlamentar será em uma das varas criminais da Justiça do Distrito Federal, em data e hora ainda não marcados. O advogado de Flordelis, Fabiano Migueis, afirmou que não há um motivo específico para o pedido feito pela deputada. Ele disse que a cliente apenas se utilizou de suas prerrogativas como deputada:

– Fizemos o requerimento, com fundamento legal, e a juíza deferiu. Ela (Flordelis) sempre colaborou com as investigações e continuará fazendo isso. O fato de responder às perguntas em Brasília não altera o processo, tanto é que a Justiça concordou.

O artigo 221 do Código de Processo Penal prevê que os ocupantes de alguns cargos, como presidente e vice-presidente da República, senadores e deputados federais “serão inquiridos em local, dia e hora previamente ajustados entre eles e o juiz”.

Na próxima quinta-feira, as testemunhas no processo em que são réus os dois filhos de Flordelis, Lucas dos Santos e Flávio dos Santos, começarão a ser ouvidas na 3ª Vara Criminal de Niterói. Lucas e Flávio são acusados de envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo. Ambos estarão presentes na sessão. Ainda de acordo com o advogado Fabiano Migueis, Flordelis não comparecerá, pois estará em Brasília.

Após a conclusão da primeira fase das investigações do crime, na qual Lucas e Flávio foram indiciados, a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo abriu um novo inquérito para continuar investigando o caso. A DH apura o envolvimento de outras pessoas no crime,entre elas Flordelis.

29/10/2019